16 de janeiro de 2010

ESTÁ FALTANDO SOLIDARIEDADE

Meus caros irmãos,
Quando Jesus citou a parábola do bom samaritano, dizia Ele que o samaritano vinha de Jerusalém para Jericó e encontrou um homem ferido na estrada. Antes de esse bom samaritano passar, havia passado o sacerdote vindo de Jerusalém, palco marcante de religião, centro de todas as orações, berço, realmente, do judaísmo. Esse sacerdote, passando pelo homem, nada fez. O levita, vindo, também, de Jerusalém, com todo o status social, com toda a sua importância, ele nada fez.
Mas, veio um samaritano, viu aquele homem, ferido, sozinho, colocou-o em seu cavalo, pagou as suas despesas e foi em direção ao seu destino, que era Jericó. Todos tinham saído de uma cidade grande, todos tinham contato com a religião, com o poder público. Menos o bom samaritano, que era, de todos eles, quem menos se sobressaía, quem, pelo parecer de todos que conheciam o sacerdote levita, devia ter menos bênçãos de Deus sobre a sua cabeça. No entanto, foi a única pessoa que demonstrou estar com Deus, através das suas ações, através da sua caridade, da sua bondade, de perceber a dor do outro e minorá-la.
Não adianta nos arvorarmos em grandes conhecedores do evangelho se nós não exemplificarmos esses conhecimentos que caem soltos dos lábios. Claro que vocês não vão recolher pelas estradas criaturas que, na verdade, vocês nem sabem se estão feridos ou se estão armando situações difíceis, mas pedirão socorro, naturalmente. Ou, se viram acontecer algo, naquele instante, claro que todos irão socorrer.
Mas existem essas dores que não estão tão à mostra, que não são acidentes de percurso, mas que são, lamentavelmente, dores que passam pelo nosso caminho, pedindo apoio, solidariedade, amor, um sorriso, compreensão e que não vão nos expor, pelo contrário, são pessoas que necessitam extremamente de um coração amigo e que podem, em segurança, caminhar a partir do instante em que tiverem confiança em alguém.
Falta, atualmente, no mundo, essa confiança mútua. Podemos confiar em quem sorri para nós? Podemos confiar naqueles que convivem conosco? Podemos confiar naqueles que caminham na estrada? Naqueles que nos escrevem? Naqueles que nos falam? Existe, em todo o orbe, uma permanente desconfiança de irmão para irmão, porque, cada vez mais, as criaturas se distanciam da sinceridade, da bondade, da solidariedade. Esse processo vai crescendo à medida em que os problemas de transição da sociedade também crescem, numa seleção natural e necessária.
Se tudo aquilo que Jesus disse se cumpriu, a seleção do joio e do trigo também será cumprida. Se ele disse que veio para se cumprisse o que estava escrito, muito mais vai se cumprir aquilo que Ele escreveu, com seus atos, com a sua reforma de época, porque Jesus realmente marcou, de forma incontestável, os destinos da humanidade.
Nós devemos, nesse caminhar, porque ninguém para, sermos mais solidários. Porque, se o plano espiritual superior, regido por Jesus, não cessa o seu auxílio, nós temos que estar onde Ele está, se quisermos fazer jus à proteção, à misericórdia. Porque não é se afastando do mestre que se consegue obter dos seus ensinamentos a bênção da luz que redime.
Que o Mestre nos ampare

Christopher Smith
Mensagem recebida por psicofonia, pela médium Shyrlene Soares Campos, dia 04/03/2000,
no Núcleo Servos Maria de Nazaré.

Nenhum comentário:

Postar um comentário