12 de janeiro de 2010

O HÓSPEDE

Quando você se prepara, a fim de receber um hóspede estimado em seu reduto doméstico, organiza o que lhe é possível e da melhor maneira, de modo a oferecer o que guarda de bom, de mais especial.
Por isso, alimpa e aromatiza o seu lar; enfeita suas peças com flores risonhas; faz silêncio para não perturbar-lhe o repouso, não permitindo o alvoroço ao redor, através de observações cuidadosas;
desdobra-se nas atenções devidas aos alimentos a servir; substitui as expressões do seu vocabulário trivial por outras mais polidas e agradáveis; não há gritos, nem semblantes carregados.
Tudo se torna envolvimento carinhoso para que seu hóspede esteja á vontade em seu lar.

* * *

Imão-amigo, há um Hóspede ansioso por penetrar-lhe a casa interna, para levar-lhe felicidade.
Há alguém que tem caminhado de um para outro lado, nas calçadas de sua vivenda emocional, diariamente, insinuando-se para que você tome a iniciativa de convidá-lo.

Com certeza, Ele conhece-lhe o íntimo atormentado, os sentimentos feridos, a alegria ansiosamente buscada, a saúde esperada,as esperanças acalentadas... Ele há de ter-lhe seguido nos corredores da solidão, quanto na algaravia da qual não participa em virtude de conduzir o coração amargurado e triste.
Quem sabe, ainda hoje, você O possa convidar?!

Inicie a higienização das peças interiores de sua alma, coloque perfume em sua casa íntima, envolva cada compartimento interno com o necessário silêncio para que ele se faça o mais suave Hóspede da sua vida, dela jamais, então, se apartando.

De quem se trata? Por ventura ainda não se apercebeu que lhe estou falando de Jesus?
Convide-O, pois, sem mais demora, e Hospede-O para sempre!

Rosângela - Psicografia de J. Raul Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário