25 de maio de 2010

CASAMENTO RELIGIOSO


1 - Sou espírita e estou noivo de uma jovem católica. Tanto ela quanto sua família insistem que devemos casar na Igreja. Já deixei bem claro que não concordo. Não estou certo?
O problema é que ela também está certa. Se encara com seriedade sua religião, natural que deseje a bênção nupcial, guardando fidelidade aos seus princípios.

2 - Também levo a sério minha convicção espírita. Como ficamos, já que o Espiritismo não adota rituais?
Não há posições inconciliáveis quando prevalece o bom senso. Disponha-se ao casamento religioso na intimidade do lar, com a presença de reduzido grupo familiar e do sacerdote.

3 - De qualquer forma, mesmo na intimidade não estarei desobedecendo aos princípios espíritas?
Doutrina da consciência livre, o Espiritismo não proíbe nada. Apenas orienta para que façamos o melhor, particularmente em relação às pessoas de nossa convivência, respeitando suas convicções.

4 - Em que a transferência da cerimônia religiosa para o lar fará diferença?
Na intimidade, em reduzido grupo familiar, será diluído o formalismo, favorecendo um legítimo envolvimento dos participantes, particularmente do sacerdote. Haverá mais espiritualidade, menos pirotecnia cerimonial.

5 - E se minha noiva não concordar?
Você saberá que ela não está preocupada com a bênção; apenas com a badalação na igreja.

6 - Digamos que nosso casamento obedece a uma programação da Espiritualidade. Viemos para essa união. Será justo deixar de fazê-lo por simples querela a respeito de uma cerimônia religiosa?
Seria lamentável. Não obstante, com diálogo e compreensão o problema será solucionado.
Faça sentir à sua noiva que você está disposto a dar o passo mais importante, concordando com a cerimônia no lar. A parte dela é bem mais simples. Não envolve seus princípios.

7 - E se os pais insistirem na cerimônia na igreja?
É um mau começo permitir que os pais interfiram em algo que compete aos noivos decidir.

8 - Os sacerdotes costumam exigir que os noivos se submetam a determinados sacramentos e orienta ções da Igreja para realizarem o casamento religioso. Como ficamos?
Não se preocupe. Há sacerdotes esclarecidos que compreenderão sua posição e saberão respeitar suas convicções. Sabem que o sucesso de um casamento não está subordinado a mero formalismo religioso.
 
Richard Simonetti
Livro: Não Pise na Bola

Nenhum comentário:

Postar um comentário