19 de maio de 2010

PROBLEMAS E PROVAÇÕES

Enquanto estivermos encarnados estaremos às voltas com dificuldades e lutas.

Abençoemos os problemas e as provas que a infinita sabedoria nos proporciona que visa o nosso aprimoramento.

Evitemos choros e lamentações. Todo lamento debilita nossas forças internas, necessárias para superar nossas dificuldades. Se mudarmos nossa atitude mental veremos que com valentia, venceremos às vicissitudes adversas que a vida nos impõem.

Notaremos surpresos que os obstáculos que antes achávamos insuperáveis não são tão grandes como pensávamos.

O problema é mantermos uma atitude mental positiva de triunfador.

Acreditemos em nossa força interior e tenhamos fé que Deus é nosso Pai e por isso jamais nos abandonará, por mais difícil que seja nossa provação.

Provas e problemas foram feitos para serem resolvidas com fé, empenho e muita determinação.

Façamos nossas, as palavras do apóstolo Paulo: “Tudo podemos naquele que nos conforta, tudo podemos naquele que nos fortalece.” (Fp 4:13).

Aceitemos sem desfalecimento nossas provações, confiando nas forças divinas que jamais nos abandonarão.

Temos consciência que o planeta que nos acolhe é local de expiação e dor e que a dor nos purifica e nos eleva quando a aceitamos sem revoltas.

Dores e sofrimentos devem ser aceitos com calma, resignação e até com certa alegria. A dor é o caminho mais alto para nossa ascensão e o modo mais seguro para nos afastar das futilidades e veleidades humanas.

O Cristão verdadeiro deve encarar a existência material como um curso de provas de toda a espécie, tanto físicas quanto morais.

Não peçamos ao nosso Pai Celestial o afastamento da dor. Roguemos forças para suportá-las. É mais sensato não solicitar o desaparecimento das pedras do nosso caminho e sim, a maneira de como nos livrarmos delas.

Jesus quando solicitava ao Pai favores em prol dos seus discípulos, assim rogava: “Não peço que os tireis do mundo, mas que os livreis do mal” (Jo 17:15).

Aceitemos nossos sofrimentos sem revoltas e sem desespero, mas os aceitemos com resignação e paciência, pois, assim como chegaram, um dia, também partirão.

Lutemos sempre por nosso melhoramento moral, estudando, e sobretudo, procurando vivenciar os ensinos do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo e não nos esquecermos que, na maioria das vezes, fomos nós que escolhemos as provações atuais.

O Pai jamais abandona qualquer um de seus filhos. O que hoje nos esmaga e nos parece uma calamidade insuportável, se diluirá em poucos dias ou até em poucas horas.

Com Jesus, todas, as dores e tormentas passarão e todas as lágrimas se secarão.

Se tivermos fé, veremos então que essas dores transformar-se-ão em cicatrizes e essas cicatrizes serão luzes a iluminar nossos caminhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário