13 de novembro de 2010

DEBILIDADE MENTAL

Nossa colega, Sra. Costel, tendo feito uma excursão à parte dos Alpes em que o cretinismo parece ter estabelecido um dos seus principais focos, ali recebeu, de um de seus Espíritos habituais, a seguinte comunicação:

"Os cretinos são seres punidos na Terra pelo mau uso feito de poderosas faculdades. Sua alma está aprisionada num corpo cujos órgãos impotentes não podem exprimir seu pensamento. Esse mutismo moral e físico é uma das mais cruéis punições terrestres. Por vezes é escolhida pelos Espíritos arrependidos que querem resgatar suas faltas. A prova não é estéril, porque o Espírito não fica estacionário na prisão da carne; os olhos embrutecidos vêem; o cérebro deprimido concebe, mas nada pode ser traduzido pela palavra ou pelo olhar e, salvo o movimento, estão moralmente no estado dos letárgicos e dos catalépticos, que vêem e ouvem o que se passa ao seu redor sem poderem exprimi-lo. Quando, em sonho, tendes esses terríveis pesadelos, nos quais quereis fugir de um perigo, quando soltais gritos para pedir socorro, enquanto a língua fica presa ao palatino e os pés ao solo, experimentais num instante aquilo que o cretino experimenta sempre: paralisia do corpo ligada á vida do Espírito.

Assim, quase todas as enfermidades têm sua razão de ser; nada se faz sem causa, e o que chamais injustiça da sorte é a aplicação da mais alta justiça. A loucura também é uma punição pelo abuso de altas faculdades. O louco tem duas personalidades; a que extravasa e a que tem consciência de seus atos, sem os poder dirigir. Quanto aos cretinos, a vida contemplativa e isolada de suas almas, sem as distrações do corpo, pode ser tão agitada quanto as existências mais complicadas pelos acontecimentos; alguns se revoltam contra o seu suplício voluntário; lamentam tê-lo escolhido e experimentam um furioso desejo de voltar a uma outra vida, desejo que lhes faz esquecer a resignação na vida presente e o remorso da vida passada, que têm na consciência, porque os cretinos e os loucos sabem mais que vós, e na sua impossibilidade física oculta-se uma força moral da qual não fazeis a mínima idéia. Os atos de furor ou de imbecilidade a que seus corpos se entregam são julgados pelo ser interior, que sofre e se envergonha com eles. Assim, troçar, injuriá-los, e até os maltratar, como deles fazem por vezes, é aumentar-lhes o sofrimento porque os faz sentir mais duramente sua fraqueza e sua abjeção; e, se eles pudessem, acusariam os que assim fazem de covardia, pois sabem que suas vítimas não se podem defender.

O cretinismo não é uma lei de Deus e a Ciência pode fazê-lo desaparecer, pois é o resultado material da ignorância, da miséria e da sujeira. Os novos meios de higiene, que a Ciência, tornada mais prática, pôs ao alcance de todos, tendem a destruí-lo. Sendo o progresso condição expressa da humanidade, as provas impostas modificar-se-ão e seguirão a marcha dos séculos; tornar-se-ão todas morais; e quando a vossa Terra, ainda jovem, tiver realizado todas as fases de sua existência, tornar-se-á um lugar de felicidade, como outros planetas mais adiantados."

Espírito de Pierre Jouty - Revista Espírita de 1861.

Nenhum comentário:

Postar um comentário