25 de agosto de 2011

INTERPRETAÇÕES ESPÍRITAS


Símbolo: Os Espíritas não adotam símbolo
O Deus: DEUS.
Interpretação da Morte: Para os Espíritas a verdadeira vida é a espiritual, morte é uma passagem de uma vida para outra, ou melhor, nunca morremos, ou somos espíritos encarnados ou desencarnados. A morte é o espírito abandonando o corpo e seguindo sua trajetória em busca da perfeição, continuando a estudar, trabalhar e se aperfeiçoando. Os Espíritas acreditam em reencarnação, é através dela que o espírito progride e somente assim, ficando nesse ciclo de aprendizado, acreditam existirem vários Mundos e este em que vivemos é o das "Expiações e Provas", existem outros inferiores e outros superiores, conforme os espíritos vão evoluindo vão mudando de Mundo sempre no ciclo de vida encarnada e espiritual até atingirem a condição de espírito PURO, que continuará trabalhando na orientação dos que estão numa evolução inferior.
Cremação: Para os Espíritas o que importa não é o corpo e sim o espírito, portanto a cremação do corpo é perfeitamente aceita, orientam, porém, para o desligamento mais tranqüilo do espírito do corpo dá-se um prazo de 72hs a contar da morte até a cremação.
Doação de órgãos: A doação de órgãos é vista como um ato de caridade e, portanto incentivada.
Suicídio: Quando se encarna tem-se uma programação (não se deve confundir programação com destino) de vida, esta não pode ser interrompida e ninguém nasce programado para suicidar-se; portanto é considerado um ato criminoso contra si.
Autópsia: Não há nenhuma restrição.
Eutanásia: Dentro da filosofia que todos nascemos com uma programação de vida, a eutanásia não é aceita. Ninguém tem a capacidade de saber o momento certo de interromper essa programação (não se deve confundir programação com destino).
Aborto: Aborto intencional é considerado crime, a não ser por orientação médica para se salvar a vida da mãe. A programação de vida da mãe já está em curso e é preferível sacrificar a vida que vai nascer, pois este espírito terá outras oportunidades para reencarnar.
Exumação: Não há nenhuma restrição.
Embalsamamento: Apesar dos espíritas não verem nenhuma justificativa para isso, não há restrições.

Ritual Fúnebre
Falecimento: Constatado com certeza o óbito, os familiares deverão, munidos dos documentos legais, contatar uma funerária para que solicite imediatamente o caixão, e seu pronto sepultamento. O corpo é colocado no caixão trajado com roupa (cedida pela família) que mais se caracterizava com o falecido (a). É costume se retirar os adornos (anéis, relógio, colar, etc.).
O Caixão: A família, dentro das suas condições financeiras, escolhe. Nenhuma recomendação ou prática especial é exigida.
Velório: Os Espíritas velam seus mortos tanto com caixão aberto como fechado, dependendo da vontade da família. O velório é dirigido ao espírito, onde os presentes permanecem em preces em intenção a Alma criando-se um clima de vibração positiva em favor ao espírito desencarnado. Chorar questionando-se a justiça da morte é considerado prejudicial a essa vibração positiva, bem como qualquer pensamento derrotista. O espírito se liga ao encarnado pelos pensamentos por isso vibrações positivas são benéficas. Música ambiente durante o velório é permitida, ajudando as vibrações positivas. Flores são recebidas embora não seja necessária. Os Espíritas não adotam o uso de velas. 
Condolências: As condolências são dirigidas aos enlutados (apesar dos Espíritas não adotarem o Luto como prática), evitando-se a expressão "Meus Pêsames", e sim "Meus Sentimentos".
Vestimentas: Os Espíritas não adotam a cor preta como de luto, é de bom tom que os visitantes estejam trajados com cores sóbrias e principalmente trajados decorosamente, com devido respeito e senso de reverência.
Os Enlutados: São todos aqueles que se sentirem nessa posição, independente do parentesco com o falecido (a).
Quem Pode ir ao Cemitério: Todas as pessoas que assim o quiserem.
Enterro: Os Espíritas procuram enterrar o mais rápido possível, sem restrição de dia da semana ou datas festivo-religiosas, apenas aguardam os trâmites burocráticos. 
Cortejo: Chegando-se ao cemitério o cortejo seguirá diretamente para o local do sepultamento que será enterrado sem nenhuma cerimônia litúrgica.
O Luto: Na comunidade Espírita, não há a prática do Luto. Após o enterro, os Espíritas não preveem nenhuma cerimônia, ou seja, missas ou orações em intenção aos mortos, sempre que desejam de acordo com o foro íntimo de cada um, rezam positivamente para pedir boas vibrações para os desencarnados, tampouco está previsto descerramento ou inaugurações de túmulos.
Quanto ao túmulo, os Espíritas não adotam imagens e este poderá ser feito de acordo com a vontade e posses dos familiares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário